Glossário de Senologia

NOTA

Este "glossário" tenta definir sumariamente os termos médicos mais comuns relacionados com as doenças da mama. De forma alguma deve ser interpretado "à letra" o seu conteúdo, tendo em conta que cada doente é uma nova situação clínica, independentemente das semelhanças existentes entre as mesmas patologias em indivíduos diferentes. Este glossário encontra-se em actualização constante, pelo que alguns termos que aqui ainda não figurem, poderão constar brevemente.

Quando julgado necessário são apresentados "links" a páginas. As palavras em Itálico encontram-se definidas no Glossário e contêm "links" ao termo selecionado.

A    B   C   D    E   F   G    H   I   J    K   L   M    N   O   P    Q   R   S    T   U   V    W   X   Y    Z

bar3_anm.gif (4491 bytes)

A

Abcesso mamário - Bolsa de pús criada pelo organismo à volta das bactérias causadoras da infecção, numa tentativa de isolar o processo. V. pág. Inflamação.

Adenopatia - Gânglio linfático aumentado de volume.

Adenose - Diz-se da proliferação glandular mamária, na sequência da involução mamária.

Amenorreia - Falta ou desaparecimento mensal do período menstrual. É normal durante a gravidez e o aleitamento.

Anti-estrogéneos - Drogas que competem com os estrogéneos nos receptores celulares, não os deixando actuar. V. Tamoxifeno.

Aréola - Zona pigmentada que rodeia o mamilo.

Arpão - Muito fino estilete metálico que é colocado, por mamografia, junto a lesões impalpáveis da mama, no sentido de orientar o cirurgião na localização e excisão dessas lesões.

Assimetria mamária - Diferença de volume entre as mamas. É comum encontrar-se esta assimetria em pequena escala, sendo habitualmente a mama esquerda a maior. Assimetrias maiores são passíveis de cirurgia reconstrutiva, após o completo desenvolvimento mamário (18-20 anos). V. Mamoplastia de redução/Mamoplastia de aumento.

Auto-exame da mama - Técnica que consiste na palpação com caracter mensal, efectuado pela própria paciente. Tem a vantagem de dar a conhecer o seu próprio corpo à paciente, de forma a ser identificado mais facilmente qualquer nódulo ou outra alteração que surja. Não serve como forma de rastreio de cancro da mama. V. pág.s auto-exame e rastreio.


B

Benigno - Não canceroso. Não invade os tecidos à volta nem se espalha para outras partes do corpo.

Biopsia - Exame morfológico de células, que pode ser efectuado por agulha fina (FNAC), por agulha de biopsia (Tru-cut) ou por técnica cirúrgica. Pode ser guiada por palpação directa, por ecografia ou por mamografia (Estereotaxia). Pode ainda ser excisional, quando se retira o todo do nódulo para análise, ou incisional quando se colhe cirurgicamente parte do nódulo para análise.

BRCA 1 e 2 - Principais genes que quando presentes indicam uma susceptibilidade aumentada (e hereditária) ao aparecimento de cancro da mama

 


C

Ca 15.3 - Antigénio, aumentado principalmente nalguns casos de cancro da mama. Doseamento em amostra de sangue.

Calcificações - As calcificações mamárias dividem-se em Microcalcificações e Macrocalcificações, consoante as suas dimensões (< 1mm >)..

Cancro da mama - Tumor maligno da mama. É o tumor maligno mais frequente da mulher. Uma em cada dez mulheres irá sofrer de cancro da mama durante a sua vida. O aumento da sua incidência começa a verificar-se após os 40-45 anos e cresce ao longo da vida. Existem diversos tipos anátomo-patológicos com consequentes melhores ou piores prognósticos. Em termos gerais, quanto menor for - quanto mais cedo for identificado - melhor o prognóstico.

Carcinoma - A forma mais comum de cancro da mama, tendo como ponto de partida as células epiteliais dos ductos mamários. Dentro dos seus subtipos, o carcinoma ductal invasivo é o mais comum.

Carcinoma in situ - Tipo de cancro da mama que corresponde à fase inicial. Nem sempre corresponde a formas de melhor prognóstico.

Carcinoma inflamatório - Forma rara de cancro mamário, que é acompanhado por francos sinais inflamatórios. V. pág. Inflamação.

Carcinoma invasivo - Tipo de tumor maligno, que ultrapassou a membrana basal dos ductos mamários e invadiu os tecidos circundantes, os vasos linfáticos ou os vasos sanguíneos. O ductal é o cancro mais comum da mama.

Carcinoma lobular - Tipo histológico de tumor maligno. Pode ser in situ ou invasivo. Tem tendência acrescida (20%) para a bilateralidade. Pode ser de difícil visualização em mamografia.

Carcinoma medular - Tipo histológico de tumor maligno que tem como característica principal o facto de ser relativamente bem limitado. Corresponde a cerca de 5% do total dos cancros da mama. Tem melhor prognóstico que os outros tipos de carcinoma invasivo.

Carcinoma mucinoso - Subtipo de carcinoma em que as células que o constituem são produtoras de muco. Tem melhor prognóstico que as outras formas de cancro de mama. Sinónimo - Carcinoma mucoso.

Carcinoma tubular - Subtipo de carcinoma de melhor prognóstico.

Cauda de Spence - Nome dado ao prolongamento axilar da mama.

CEA - Antigénio Carcino-Embrionário. Determinam-se os seus valores por doseamento sanguíneo, estando aumentado nalguns cancros do tubo digestivo, pulmão e mama.

Ciclo menstrual - O espaço de tempo que medeia entre períodos menstruais. Habitualmente é de cerca de 28-30 dias. O 1º dia do ciclo é o 1ºdia da menstruação.

Cintigrafia - Ténica de imagem baseada na captação pelos tecidos de um isótopo radioactivo, habitualmente o Tecnécio 99. Os tecidos com aumento de vascularização, como são os que têm doença maligna, captam mais isótopo. Ligada ao estadiamento do cancro da mama utiliza-se para estudo dos ossos, para determinação de eventuais metástases.

Cirurgia Conservadora - Tipo de cirurgia que consiste na excisão do tumor e de uma margem de tecido normal circundante, preservando a mama. Utiliza- se em casos selecionados de cancro da mama. Habitualmente é acompanhada de esvaziamento axilar e de Radioterapia.

Citologia aspirativa - V. FNAC.

Citostáticos - Drogas cuja função é de parar/dimimuir o crescimento das células tumorais.

CMF - Tratamento de Quimioterapia, constiuído pela associação de Ciclofosfamida, Metrotexato e 5-Fluoracilo, drogas citostáticas

Comedocarcinoma - Forma de carcinoma mamário que se estende predominantemente pelos ductos mamários e não pelo tecido circundante.

Corrimento mamilar - Saída de líquido pelo mamilo, fora da amamentação. Pode ter diversas causas (V. pág. corrimento).

Cromossomas - Estruturas localizadas nos núcleos das células e que contêm genes.


D

Doença de Mondor - Obstrução de veias da pele da mama e da parede torácica, que se caracteriza por aparecimento de um sulco na mama, por vezes avermelhado, coincidente com o trajecto da veia. Pode ter como causa um traumatismo. Habitualmente é auto-limitada, não necessitando de tratamento.

Doença de Paget da mama - Forma de carcinoma mamário (geralmente in situ), habitualmente de bom prognóstico, de aparecimento preferencial entre os 40 e 50 anos, que se caracteriza por uma lesão descamativa do mamilo e aréola. (V. pág. prurido).

Doença fibroquística - Antiga designação que engloba uma série de alterações da mama (fibrose, adenose, quistos, etc.), que podem aparecer na sequência de alterações involutivas (envelhecimento) da mama.

Ducto - Nome dado a cada um dos canais existentes na mama, responsáveis pela exteriorização do leite na amamentação.


E

E.P.O. - "Evening Primrose Oil". V. Óleo de Onagra

Ecografia - Técnica de Imagem computorizada, que se realiza com ultrassons.

Ectasia ductal - Dilatação dos ductos da mama, originada por retenção de líquido produzido pelos mesmos, na sequência da involução mamária. Origina, portanto, corrimento mamilar. V. pág. Corrimento.

Eczema mamilar - Doença da pele do mamilo, descamativa e pruriginosa de origem habitualmente alérgica. Pode ser confundida com a Doença de Paget da mama. V. pág. Prurido.

Elefantíase - V. Linfedema.

Estadiamento - Estudo que se segue ao diagnóstico de um cancro, de modo a detectar eventuais disseminações ganglionares, ósseas, hepáticas ou pulmonares. V. Classificação TNM.

Esteatonecrose - Fenómeno de destruição de células de gordura, na sequência de traumatismos ou de amamentação. Curam frequentemente com formação de macrocalcificações típicas, identificáveis em mamografia. Sinónimos - necrose gorda e citoesteatonecrose.

Estereotaxia - Técnica de localização tri-dimensional de lesões impalpáveis da mama. É realizada com a ajuda de um sistema especial acoplado a um mamógrafo. Habitualmente é colocado um arpão junto da lesão assim localizada, de forma a guiar o Cirurgião na excisão da lesão.

Estrias mamárias - Produzem-se na sequência de aumentos de volume mamários rápidos, como na adolescência e gravidez.

Estrogéneos - Hormonas femininas produzidas principalmente pelos ovários. No homem existem em muito menor quantidade e são produzidas pelas glândulas supra-renais e pelos testículos.

Esvaziamento axilar - Técnica habitualmente complementar à remoção do tumor ou da totalidade da mama, que consiste na excisão dos gânglios linfáticos da axila. Destina-se a estadiar correctamente a doença, no sentido de se decidir sobre eventuais terapêuticas complementares.

Exame extemporâneo - Avaliação anátomo-patológica durante a cirurgia, de modo a qualificar de maligno ou benigno determinado tumor e de forma a ser efectuado, no mesmo tempo operatório, o tratamento correcto para a situação clínica. Tem vindo progressivamente a ser afastado, graças à introdução de novas técnicas de biopsia pré-operatória de fácil e rápida execução e leitura.

Expansor mamário - Prótese insuflável com soro fisiológico, que pode ser colocada na sequência de mastectomia, de modo a distender a pele preparando-a assim para a futura colocação da prótese definitiva. V. Reconstrução mamária.


F

FAC - Tratamento de Quimioterapia, constiuído pela associação de 5-Fluoracilo, Adriamicina e Ciclofosfamida, drogas citostáticas.

FEC - Tratamento de Quimioterapia, constiuído pela associação de 5-Fluoracilo, Epiadriamicina e Ciclofosfamida, drogas citostáticas

Fibroadenoma - Tumor benigno, mais comum em mulheres jovens. Desde que correctamente diagnosticados, podem ser unicamente vigiados com ecografia. Os fibroadenomas com dimensões superiores a 3 cm devem ser excisados cirurgicamente.

Fibroadenoma Gigante - É um fibroadenoma cujas dimensões ultrapassaram os 5 cm. São relativamente raros, sendo mais comuns em mulheres jovens. Devem ser excisados cirurgicamente.

Fibrose - Fenómeno típico da involução mamária, caracterizado por uma exuberância do tecido conjuntivo mamário.

Fissura mamilar - Fenda no mamilo, geralmente provocada pelo traumatismo mantido da amamentação. Pode constituir uma porta de entrada para uma infecção da mama. V. Mastite. V. pág. Inflamação.

Fístula mamária - Trajecto de comunicação entre uma loca abcedada e a pele. Geralmente é resultante de infecções crónicas. Habitualmente necessita de cirurgia para o seu tratamento. V.  pág. Inflamação

FNAC - Fine Needle Aspirative Citology. Citologia aspirativa com agulha fina. Como o próprio nome indica é realizada a punção da lesão mamária com uma agulha fina, no sentido de se obter células da lesão para análise. Permite obter resultados bastante satisfatórios em relação à identificação de lesões malignas ou benignas. É praticamente indolor, pelo que é efectuada sem anestesia. Pode ser efectuada sob orientação ecográfica, no caso da lesão não ser palpável.


G

Galactografia - Técnica especial de mamografia que avalia o interior dos ductos mamários após introdução de contraste radiográfico pelo ducto por onde existe emissão de corrimento. Não tem indicação em todos os corrimentos (V. pág. corrimento).

Galactorragia - Saída de sangue pelo mamilo. Pode ter diversas causas (V. pág. corrimento avermelhado/acastanhado).

Galactorreia - Saída de leite pelo mamilo, de forma espontânea ou provocada, fora da amamentação. (V. pág. corrimento).

Gânglio - Formação ovoide pertencente ao sistema linfático. A designação "ter gânglios" geralmente refere-se à existência de gânglios palpáveis, habitualmente aumentados de volume. Fazem parte integrante da barreira de defesas do organismo, pelo que a sua análise poderá dar informações diagnósticas importantes.

Gene - Segmento de molécula de DNA, responsável pela hereditariedadde.

Ginecomastia - Termo que designa o aumento de volume da mama no Homem. Pode acontecer normalmente na puberdade e nas pessoas de idade. Pode resultar de diversas doenças não mamárias (hepa´ticas, pulmonares, etc.). Na ausência de causa óbvia deve ser efectuada mamografia.

Greta mamilar - V. Fissura do mamilo.


H

Hiperplasia epitelial - Em termos mamários corresponde ao aumento do número de camadas de células epiteliais nos ductos. Tem vários graus desde a moderada até à atípica, verdadeira precursora do cancro mamário. Não existe forçosamente uma progressão entre os diversos graus.

Hipertrofia gravídica - Crescimento mamário que se dá durante a gravidez, carcterizado por ingurgitamento vascular e por crescimento dos elementos glandulares, como preparação para o aleitamento.

Hipertrofia juvenil - Crescimento exagerado duma ou de ambas as mamas durante a fase normal de crescimento (adolescência). A ser efectuada eventual cirurgia de correcção esta só deve ser planeada para após o fim da fase de crescimento (após os 18-20 anos). V. Mamoplastia de redução.

Hipertrofia mamária - Crescimento exagerado dos elementos glandulares e estromais que constituem a mama. Se esta situação se passa após total desenvolvimento mamário (após os 18-20 anos), habitualmente tem a ver com aumento da gordura.

Hormona - Substância produzida por determinadas células de alguns orgãos, presente na corrente sanguínea em valores muito escassos, e que influenciam a activação/regulação ou o metabolismo de outros orgãos.

Hormonoterapia - Em termos gerais - Tratamento com hormonas. Em termos de uso comum em patologia mamária - Tratamento que visa combater a doença maligna da mama, através da diminuição ou abolição dos níveis de estrogéneos (hormona feminina), em situações escolhidas. Habitualmente é utilizada uma droga anti-estrogénica - o Tamoxifeno.


I

In situ - Diz-se do tumor maligno que está confinado a um determinado espaço, não tendo invadido ainda os tecidos vizinhos, os vasos linfáticos ou os vasos sanguíneos. Como tal raramente metastiza para outros orgãos, tendo, por isso, melhor prognóstico. Pode ser de vários subtipos. V. Carcinoma in situ.

Infecção - Invasão dos tecidos por microorganismos, como sejam bactérias ou vírus.V. pág. Inflamação.

Inflamação - Processo que habitualmente acompanha a infecção e que se caracteriza por calor, tumor, rubor,  dor e impotência funcional. Pode existir sem infecção. V. pág. Inflamação.

Invaginação mamilar - Situação congénita em que um ou ambos os mamilos não são procidentes, encontrando-se retraídos. Esta situação é passível de correcção cirúrgica, sendo comprometida qualquer amamentação futura.

Invasivo - Diz-se do tumor maligno que invadiu as estruturas adjacentes, os vasos linfáticos ou os vasos sanguíneos, por oposição ao in situ. O carcinoma ductal invasivo é o tipo mais comum de cancro de mama.

Inversão mamilar - Situação adquirida em que um ou ambos os mamilos estão retraídos. Esta situação deve ser plenamente investigada no sentido de ser esclarecida a causa. Pode corresponder a tumor maligno.

Involução mamária - Processo de "envelhecimento" mamário, que habitualmente começa por volta dos 35 anos, caracterizado por substituição do tecido glandular por adiposo (gordura). Este processo pode ser efectuado por uma outra "via" através da fibrose e da adenose. A involução mais intensa dá-se com a menopausa, pela baixa acentuada dos níveis de hormonas femininas.


J

 


K

 


L

Linfedema - Tumefacção dum membro como consequência do bloqueio da drenagem linfática. No caso do linfedema pós-mastectomia, pode acontecer na sequência de esvaziamento axilar ou de radioterapia axilar. Devem ser tomadas medidas de prevenção após qualquer um destes procedimentos terapêuticos. Melhora com fisioterapia do membro afectado. À luz dos conhecimentos cirúrgicos de agora, trata-se de uma complicação rara.

Lipoma - Acumulação localizada de gordura, geralmente com uma cápsula própria.

Lóbulo - Tecido produtor de leite. Cada mama tem cerca de 15 a 20 unidades lobulares, capazes de produzir leite, que será conduzido para os poros do mamilo pelos ductos.


M

Macrocalcificações - São detectadas por mamografia e têm dimensões superiores a 1 mm. A esmagadora maioria corresponde a patologia benigna, não havendo necessidade de mais estudos.

Macroquisto - Nódulo mamário, de conteúdo líquido e de dimensões superiores a 1 cm. Habitualmente são múltiplos e são acompanhados por fibrose.

Mama - Termo médico para Seio, Peito. É um caracter sexual secundário da mulher. Constituída por pele, donde sobressai a placa aréolo-mamilar, e por tecidos adiposo, glandular e conjuntivo, tecidos estes com maior ou menor predominância de acordo com a idade (>idade = mais tecido adiposo-gordura). Este conjunto forma uma glândula sudorípara modificada, cuja função última é a lactação, sendo ainda considerada como símbolo da feminilidade com funções estéticas, eróticas e sexuais.

Mama direita - Artisticamente sempre foi considerada como a fonte de alimento e de fecundidade.

Mama esquerda - Artisticamente é considerada ligada ao prazer e à luxúria.

Mama supra-numerária - A espécie humana só possui duas mamas, ao contrário da maior parte dos restantes mamíferos. No entanto, na fase de desenvolvimento embrionário começa por se desenvolver uma linha - a crista mamária - por onde se implantam diversas mamas, e que se estende da axila até à região inguinal (virilha) e que mais tarde desaparece. Podem assim existir mamas e mamilos supra-numerários ao longo desta crista, como aberração de desenvolvimento, A grande maioria dos autores não indica a ressecção destas, senão por condições estéticas. As mamas e os mamilos supra-numerários estão sujeitos às doenças da mama.

Mamilo invaginado - V. Invaginação mamilar.

Mamilo invertido - V. Inversão mamilar.

Mamilo supra-numerário - V. Mama supra-numerária.

Mamografia - Radiografia da mama. É efectuada geralmente em dois planos em cada mama. De forma a se obter uma boa imagem é necessária compressão mamária, pelo que este exame deve ser efectuado preferencialmente após o período menstrual, de forma a não despertar dor.

Mamoplastia de aumento - Técnica cirúrgica que habitualmente consiste na introdução de próteses de silicone ou, mais recentemente, de soro fisiológico, de modo a projectar a mama para a frente, criando aumento de volume. Pode ser realizada após o total crescimento da mama: Não interfere com futuras amamentações.

Mamoplastia de redução - Técnica cirúrgica de diminuição do volume mamário. Não deve ser realizada antes do completo desenvolvimento da mama (18-20 anos). Pode ser realizada antes da paciente ter amamentado, uma vez que vai respeitar essa função ulteriormente.

Mastalgia - Dor mamária. Sinónimo - Mastodínia. (V. pág. Dor).

Mastectomia - Técnica cirúrgica que consiste na extirpação da mama, habitualmente associada à excisão dos gânglios axilares (esvaziamento axilar).

Mastectomia profilática - Técnica cirúrgica que consiste na remoção da ou das mamas saudáveis, de forma a reduzir o risco de aparecimento de cancro da mama, em pacientes com risco aumentado. Pouco utilizada na Europa, sendo principalmente utilizada nos E.U.A.

Mastectomia radical modificada - É a técnica cirúrgica radical mais comum para tratamento do cancro da mama. Consoante a técnica, consiste na excisão da glândula mamária na sua totalidade, com ou sem excisão do músculo pequeno peitoral. É geralmente acompanhada de esvaziamento axilar.

Mastectomia simples - Técnica cirúrgica que consiste na extirpação da mama, sem esvaziamento axilar. Só se utiliza em casos seleccionados.

Mastectomia subcutânea - Excisão cirúrgica da glândula mamária, mantendo-se a pele e o complexo aréolo-mamilar. As suas indicações são extremamente controversas, sendo utilizada principalmente no E.U.A. com ideia de diminuir a incidência de cancro da mama em mulheres de risco aumentado. Não é utilizada para tratar cancros da mama.

Mastite - Processo inflamatório/infeccioso da mama (V. pág. Inflamação)

Mastodínia - O mesmo que Mastalgia.

Menarca - Altura da primeira menstruação.

Menopausa - Altura do desaparecimento dos períodos menstruais, de acordo com a baixa de níveis hormonais. Em termos hormonais a menopausa faz-se gradualmente, podendo existir ainda hormonas femininas em níveis aceitáveis, cerca de dois anos após a última menstruação. Dá-se habitualmente entre os 45 e 50 anos.

Menopausa precoce - Quando acontece antes dos 35 anos.

Metástases - Lesão tumoral de aparecimento à distância do tumor primitivo. No caso do cancro da mama a metastização mais frequente é para o fígado, ossos e pulmão. Podem aparecer ao mesmo tempo que o tumor primitivo (mais raro) ou aparecerem mais tardiamente.

Microcalcificações - São detectadas por mamografia e têm dimensões inferiores ou iguais a 1 mm. Consoante o seu tipo morfológico são divididas em seis grupos. Numa boa parte dos casos é aconselhável a sua excisão para envio para análise. Podem corresponder a formas de processos malignos.

Microquisto - Nódulo mamário, de conteúdo líquido, de dimensões inferiores a 1 cm. Podem ser considerados normais a partir de cerca dos 30 anos. Não necessitam de qualquer tratamento ou investigação mais profunda. Podem ser acompanhados por fibrose.

Multicêntrico - Diz-se de um carcinoma da mama que apresenta vários focos nos vários quadrantes da mama.

Multifocal - Diz-se de um carcinoma da mama que apresenta vários focos no mesmo quadrante da mama.

Multípara - Mulher que deu nascimento a várias crianças.

Mutação genética - Alteração no número, arranjo ou sequência molecular de um gene.


N

Neoplasia - Tumor. Pode ser benigna ou maligna. Habitualmente o termo é utilizado como sinónimo de tumor maligno.

Nódulo - É o nome genérico adoptado para qualquer "tumor" palpável, seja benigno ou maligno. Vulgo "caroço".

Nuligesta - Mulher que nunca engravidou.

Nulípara - Mulher que nunca deu à luz.


O

Óleo de Onagra - Óleo proveniente de uma flor da família das orquídeas, que contém ácidos gordos essenciais em grande quantidade. A sua toma em cápsulas, melhora substancialmente a mastalgia. V. pág. dor.

Ooforectomia - Ablação cirúrgica de um ou dos dois ovários. A ablação bilateral foi preconizada durante muito tempo como terapêutica complementar para alguns cancros da mama, em mulheres pré-menopáusicas. Hoje em dia caiu mais em desuso sendo substituída por drogas.

Osteoporose - Perca de minerais que levam à diminuição da densidade óssea, produzindo fragibilidade óssea.


P

Papiloma - Tumor benigno. Pode ser intra-canalicular (dentro de um ducto), ou do mamilo. O intra-canalicular pode originar corrimento e é geralmente diagnosticado por Galactografia. Ambos devem ser excisados cirurgicamente.

Pele em casca de laranja - Alteração provocada por bloqueio dos linfáticos da mama, criando o aspecto picotado típico da casca de laranja. Pode ser acompanhado de vermelhidão. Pode ser originado por inflamações (V. pág. inflamação) ou por tumores da mama.

Pílula anti-concepcional -  Droga ou conjunto de drogas destinadas a inibir a ovulação mensal de modo a impedir a gravidez. As mulheres com cancro da mama, em princípio, não a devem utilizar. Não parece haver aumento de cancro da mama nas mulheres que a utilizam ou utilizaram.

Prolactina - Hormona responsável pela produção de leite. É produzida na Hipófise, glândula-mestra que se situa na base do cérebro, numa zona chamada "sela turca".

Prótese mamária - Podem ser externas ou internas. As externas são aplicadas num soutien próprio e destinam-se a criar o volume e o peso da mama amputada. São construídas em silicone. As próteses internas podem ser aplicadas para correcção após mastectomia ou para aumento do volume mamário (V. Mamoplastia de aumento). Podem ser preenchidas por silicone ou por soro fisiológico.

Ptose mamária - Mama descaída ou pendular. Diz-se quando o complexo aréolo-mamilar desce abaixo da posição normal. Existem diversos graus, todos eles com cirurgias de correcção possíveis.


Q

Quadrante mamário - Em termos de sistematização a mama é dividida em 5 quadrantes - Supero-externo, supero-interno, infero-interno, infero-externo e região aréolo-mamilar. Estes quadrantes não correspondem a unidades funcionais distintas, nem contêm a mesma quantidade de tecido mamário, tratando-se pois de uma divisão física e não funcional. A maior quantidade de tecido mamário encontra-se no quadrante supero-externo, razão pela qual existem mais doenças neste quadrante.

Quadrantectomia - Técnica cirúrgica que implica a remoção cirúrgica do quadrante onde se encontra a lesão, bem como de parte da pele dessa zona. Habitualmente é acompanhada de Esvaziamento axilar. Neste momento é uma técnica com menor uso, tendo sido parcialmente substituída pela Tumorectomia.

Quimioterapia - Tratamento, geralmente administrados por via intra-venosa, que visa reduzir/matar as células cancerosas. No caso do cancro da mama constam habitualmente de associações de diversos citostáticos, podendo eventualmente ser efectuados tratamentos com uma única droga.

Quisto mamário - V. Macroquisto e Microquisto.


R

Radioterapia - Técnica de terapêutica complementar da neoplasia da mama, que consiste na irradiação das áreas afectadas com radiações ionizantes, habitualmente com Cobalto. Faz parte integrante da terapêutica baseada em Cirurgia Conservadora..

Rastreio - V. pág. rastreio.

Receptores hormonais - "Sítios" de ligação de hormonas às células. Análise através da recolha de tecido. No caso dos tumores da mama interessam especialmente os de Estrogéneos e os de Progesterona. Em caso de positividade podem ser administradas drogas anti-hormonais (Hormonoterapia) (Tamoxifeno), para ajudar a combater a doença.

Recidiva -  V. Recorrência

Reconstrução mamária - Técnica cirúrgica destinada a corrigir esteticamente a mulher mastectomizada.

Reconstrução mamária diferida - Quando efectuada em tempo cirúrgico posterior à mastectomia.

Reconstrução mamária imediata - Quando iniciada no mesmo tempo cirúrgico da mastectomia.

Recorrência - Reaparição do tumor, uma vez tratado. Pode ser Local, Regional (geralmente na axila) ou à Distância (metástases ósseas, hepáticas, pulmonares, etc.). Sinónimo - Recidiva.

Redução mamária - V. Mamoplastia de redução.

Ressonância magnética nuclear - (RMN) Técnica de imagem que avalia a estrutura electromagnética dos átomos, dando reconstruções tridimensionais. Habitualmente é pedida para verificação da integridade de próteses mamárias e começa a ser também útil na detecção de recidivas em Tumorectomias ou mesmo para avaliação da eficácia da Quimioterapia


S

Sela turca - Ou Fossa Pituitária. Corresponde a uma porção do osso esfenoide, osso este situado no interior da caixa craneana, fazendo parte da base do crâneo. Aqui se aloja a glândula hipofisária (Hipófise), responsa´vel pelo comando de muitas outras glândulas. Aqui se produz, entre outras hormonas, a prolactina, hormona responsável pela estimulação mamária que leva à produção de leite.

Senologia - Ramo da ciência médica que estuda as doenças da mama.

Sindroma pré-menstrual - Conjunto de sintomas que precedem a menstruação, como sejam a irritabilidade, dores de cabeça e a tensão mamária (V. pág. dor). Tem como causa as alterações dos níveis hormonais. Passa com o aparecimento do período menstrual.


T

T.A.C. - Tomografia Axial Computorizada. Utiliza Rx em doses baixas, com reconstrução da imagem por computador. Em termos mamários tem pouca utilização.

Tamoxifeno - Droga de propriedades anti-estrogénicas, utilizada em determinados tipos de cancro da mama para diminuir a incidência de recorrência da doença, ou para tratamento de metastização. Nos E.U.A., foi recentemente introduzida para prevenção do cancro da mama em grupos de risco muito elevado. Em Portugal ainda não se efectua correctamente a identificação destes grupos de risco pelo que ainda não começou a ser utilizado para prevenção.

Terapêutica Hormonal de Substituição - Diz-se da terapêutica hormonal utilizada para prevenção dos efeitos da menopausa, quer a nível dos vasos sanguíneos (cerebrais, cardíacos, etc.), quer a nível da osteoporose. Na grande maioria dos casos esta é desaconselhada em casos de cancro de mama. Pode, no entanto, ser efectuada terapêutica não hormonal.

Termografia - Técnica de imagem, que se baseia na captação de temperatura de determinada zona do corpo, Os tumores malignos representam zonas mais quentes. Praticamente já não é utilizada como meio de diagnóstico para os tumores da mama.

TNM - Classificação internacional que agrupa a doença maligna consoante as dimensões do tumor (T), estado dos gânglios (N), e metástases à distância (M). V. Estadiamento.

Tru-cut - Termo que define a biopsia efectuada com agulha grossa, de forma a se obter um fragmento de tecido da lesão para avaliação anátomo-patológica. É efectuada sob anestesia local, com uma agulha e "pistola" específicas. Pode ser efectuada sob orientação ecográfica ou mamográfica, no caso da lesão não ser palpável.

Tumor - Termo utilizado para definir qualquer nódulo palpável. Pode ser benigno ou maligno. Habitualmente erradamente utilizado como sinónimo de maligno.

Tumor Phyllodes - Tipo de tumor raro da mama. Pode ser maligno ou benigno, consoante as suas características celulares.

Tumorectomia - Técnica cirúrgica que consiste na remoção do tumor, bem como de uma margem envolvente de tecido normal. Habitualmente é utilizada em situações malignas de reduzidas dimensões, podendo ser acompanhada de esvaziamento axilar, conseguindo-se assim "poupar" a mama. Geralmente é acompanhada de Radioterapia de forma a complementar o tratamento.


U

Ultrassonografia - Técnica de Imagem médica computorizada, que se realiza com ultrassons. (Sinónimo.- Ecografia)


V

 


W

 


X

Xerografia - Técnica de radiografia mamária, bastante utilizada nas décadas passadas, hoje em dia totalmente substituída pela Mamografia de baixa dosagem.


Y

 


Z

 

bar3_anm.gif (4491 bytes)

Bibliografia:

Atlas of breast surgery - Wells,Jr. , Young, Andriole - Mosby, 1994

Current problems in surgery - Vol. 35, nº 11 pag.s 951-1018, Nov 1998 - Minimal access surgery for staging regional lymph nodes: the sentinel-node concept

Diccionario de Senología y patología mamaria - Montero Ruiz, J , Prats Esteve, M, 1996

Diseases of the breast - Harris, Lippman, Morrow, Hellman - Lippincott-Raven , 1996

Senologia Prática - Pereira, Mestre - Lisboa 1997

 

(Página principal)

© Vítor S. Pereira